Por que todo buiquense é chamado barriga preta

Por que todo buiquense é chamado barriga preta?

Lá vem os barriga preta! Assim diziam munícipes de cidades vizinhas quando avistavam comerciantes ou qualquer pessoa natural de Buíque. Os mais velhos conhecem bem o apelido que remonta à época em que os holandeses viveram em terras buiquenses. Barriga preta tem origem da junção de um termo holandês e uma raça de ovelhas que acabou sendo associada aos caboclos que viviam em condições tribais em plena caatinga.

O apelido que perdura há mais de 300 anos surgiu entre (1630-1645). Buíque serviu de moradia para algumas famílias flamengas (incluindo judeus) em épocas do domínio holandês. Vieram parar em Buíque após cruzar o sertão em busca de salitre, prata e ouro. Quando Portugal reestabeleceu o controle sobre Pernambuco, algumas famílias holandesas permaneceram na região que confere ao atual distrito do Catimbau.

Sempre se falava nas minas dos CAMPOS DO BUIQUE, onde, por sinal, tinham estado os holandeses, em procura de ouro, prata ou mesmo de salitre. Assim, Surrel, em companhia do coronel LEONEL DE ABREU E LIMA, na época, futuro dono da Fazenda Cabo do Campo, naquela região, fora explorar a nitreira buiquense.(BARBALHO, Nelson. P. 66)

O termo Buíque é de origem indígena e coincidentemente, existe uma palavra na língua holandesa que possui pronúncia semelhante: “buik” – que significa: “barriga”.

Pela proximidade da pronúncia, os visitantes europeus já tratavam os nativos por “buik”, e observando traços físicos dos caboclos (junção de indígenas e africanos) compararam-nos com uma espécie de ovino, cuja raça originou-se da junção de um lanado europeu e um caprino não lanado africano, resultando na espécie não lanada, cujas cores vão do marrom alaranjado ao preto, sendo esta última cor predominante nos membros e área da barriga.

No holandês, a raça é chamada: zwarte buik schapen (ovelha barriga preta). E os Campos do Buíque que para os indígenas era a terra de uma espécie de árvore nativa (de origem amazônica) cujo nome do fruto era pronunciado “iké”; para os holandeses significava a “terra dos barriga preta”.

Com a retomada dos portugueses, Nicolau Aranha Pacheco reivindicou as terras dos Campos do Buíque e dos Garanhuns e a coroa concedeu-lhe o pedido através de sesmarias. As terras já eram de se conhecimento. Pois, antes de ser o possuidor das terras buiquenses, Lopo de Albuquerque da Câmara (genro de Nicolau Aranha) havia encontrado minas de Prata na região. Os holandeses e judeus que permaneceram no local, passaram a viver entre indígenas ou À serviço do novo senhor das terras. O apelido “barriga preta” acabou sendo preservado.

Associando as ovelhas aos caboclos buiquenses

Indígenas e quilombolas que viviam nos Campos do Buíque habitavam áreas próximas a rios ou lagoas, comumente embrenhavam-se pela catinga, entre cactos, galhos secos e plantas espinhosas em busca de alimento. Tinham a pele maltratada por ranhuras que se tornavam cicatrizes sob um couro encaliçado. As partes mais encaliçadas  e escuras (queimadas pelo calor) eram os membros e a região da barriga.

As ovelhas barriga preta ou barriga negra são comuns no Nordeste e Norte do Brasil, inclusive podem ser encontradas em grande quantidade no Estado de Roraima. Estudiosos acreditam que a raça surgiu no Nordeste brasileiro e que os holandeses foram os responsáveis por cruzar uma raça africana com outra europeia trazida por eles. Há quem diga que os cruzamentos originaram-se, não no Nordeste do Brasil. Mas, na ilha de Barbados (Caribe), quando da colonização inglesa. Sendo posteriormente, trazidas para o Brasil.

O animal se destaca por sua rusticidade, resistência a doenças e boa prole. A raça é deslanada (não produz lã), possui barriga e membros negros. Está em risco de extinção e encontra-se mestiçada com várias outras raças. As características na coloração do animal e a semelhança na pronúncia do termo Buíque (oriundo do tupi) e Buik (barriga em holandês), deram origem à famosa alcunha.

Com o passar dos séculos “barriga preta” deixou de ser um termo exclusivo aos caboclos e compreendeu também a qualquer indivíduo vindo da zona rural, sendo este descendentes de africanos, indígenas e europeus. A miscigenação se ampliou de tal maneira que o apelido passou a englobar todo e qualquer pessoa nascida e criada em Buíque. Aliás, vale dizer que aqueles que mais ouviram o apelido ao longo do tempo foram os comerciantes.

Barro Preto, outro nome vindo de um caprino

No distrito do Carneiro, está inserido o sítio arqueológico Alcobaça, cuja palavra é de origem árabe (al-kubasha) e significa “Carneiro”. O nome foi dado por portugueses vindo de Alcobaça – Portugal. No passado era grande a criação de caprinos na região.

Há também no Carneiro uma povoação chamada Barro Preto, nome atrelado à raça de ovelha conhecida por barriga preta, cuja pelagem combina a cor do “barro”, complementada com “preto”.


Referências:

  • BARMONTE, Paulo César. Por que todo buiquense é chamado barriga preta? Publicado em: https://oqqbuiquetem.com.br/
  • BARBALHO, Nelson. Cronologia Pernambucana. Vol. 6. Centro de Estudos de História Municipal, Fundação de Desenvolvimento Municipal do Interior de Pernambuco, 1982.
Postado em História e marcado como , , , .

Publicitário, fotógrafo e pesquisador da história buiquense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *