José Soriano de Souza Neto

José Soriano de Souza Neto nasceu em Buíque no ano de 1895 – ano em que falece seu avô – um dos homens de grande influência da época; Filho do desembargador Thomás Soriano de Souza e Francisca Vieira Soriano de Souza (nasc. Vieira de Alencar). Casou-se com Bernadete Malta Soriano de Souza (nasc. do Couto Malta [1896-1978]) com quem tivera 4 filhos: Paulo Soriano de Souza (12 de maio de 1923 a 03 de abril de 2008); os demais não foram identificados.

Em 1910, aos 15 anos – ingressou no curso de Ciências Jurídicas, promovido pela Faculdade de Direito do Recife, concluindo o bacharelado em 1915. Logo, seguiu para a Bahia onde exerceu a profissão de advogado em Ilhéus e Itabuna durante 16 anos.

Em 1925 retorna a Recife para lecionar na mesma faculdade em que se formou e também lecionaram seu avô: José Soriano de Souza e os tios-avós: Brás Florentino de Souza e Tarquino Brás de Souza. Fez também o doutorado em direito e o término, retornou para Itabuna onde passara 8 anos. De volta ao Recife (1835), tentou a cátedra de Direito Civil na Faculdade de Direito, porém não obteve sucesso; ocupando no ano seguinte a vaga do professor (aposentado) Hercílio de Souza.

Atuou como liderança do movimento de redemocratização em virtude do Estado Novo. José Soriano foi autor do maior documento cívico oriundo da Faculdade de Direito do Recife. Tornou-se diretor da mesma faculdade por 3 mandatos. Em 1961, durante o governo de Jânio Quadros, os estudantes de Direito decretaram greve, culminando no cerco de tropas federais à faculdade, no qual os estudantes foram afastados e líderes sindicais acabaram presos, o que fez da paralisação um ato político.

foi um dos maiores civilistas nacionais e chegou a possuir a maior biblioteca jurista do Brasil. Seu acervo entre muitas obras raras de várias partes do mundo, contava com mais de 55 mil livros.

José Soriano é autor de 22 obras, entre elas: Do reconhecimento voluntário dos filhos ilegítimos – publicado em 1928; Da novação – publicado em 1937; A construção científica alemã sobre os atos jurídicos em sentido estrito e a natureza jurídica do reconhecimento da filiação ilegítima. Revista Acadêmica, a. LVIII – publicada entre 1951-1956).

Faleceu aos 85 anos, no dia 14 de abril de 1980, na capital pernambucana.

Referências:

  • Universidade Federal de Pernambuco. Biografias. Projeto Memória Acadêmica Faculdade de Direito do Recife. s/d. Disponível em: https://www.ufpe.br/memoriafdr/biografias. Acessado em: 10 de maio de 2020.
  • Jornal do Brasil. Estados. José Soriano de Souza Neto. 16 de abril de 1980, I caderno.

SOBRE O AUTOR

Publicitário, fotógrafo e pesquisador da história buiquense.

POSTS SUGERIDOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Traduzir »
TAMANHO DE FONTES
CONTRASTE
error: Página protegida