Barmonte
Barmonte - fotografando pintura rupestre
Barmonte - fotografando painel rupestre
Barmonte - Serra dos Breus
Barmonte e Angélica
Barmonte - Angélica - Eduardo

Apresentação

Olá, meu nome é Paulo César Barmonte, idealizador da página “O que é que Buíque tem?“. Uma iniciativa própria com objetivo de divulgar a história, cultura arte, o turismo local. Divulgar informações sobre o passado da cidade têm sido um desafio constante. Existem poucas fontes de consulta e vários fragmentos que aos poucos revelam partes do quebra-cabeças histórico da cidade. Realizo um trabalho voluntário, sem qualquer ganho e tenho alcançado êxito em algumas descobertas graças ao apoio de pessoas que prezam pela história local.

Resumo biográfico:

Nascido em Arcoverde-PE, a 09 de junho de 1984, filho de Ednalva Maria Barbosa e Severino Francisco Monteiro. Ao sair do hospital passei algumas semanas em Buíque, terra natal de minha mãe. Pouco tempo depois fomos para Recife, onde minha mãe residia e tinha trabalho fixo, era concursada como agente administrativa na Clínica Central de Alergologia, onde trabalhou até aposentar-se. minha irmã, Ana Paula, nasceu 1 ano e 1 mês depois de mim. Porém, tinha outros irmãos mais velhos – um casal, oriundos da primeira família de meu pai.

Buíque era a cidade das férias e quase todos os finais de ano, viajávamos eu, minha irmã, Ana Paula e minha mãe – para visitar meus avós e demais parentes. Minhas férias em Buíque, durante a infância, resumia-se ao entorno da casa de meus avós. Meu local preferido era contemplar as árvores e animais expostos no entorno do Clube Municipal, caminhar pela feira nos sábados e experimentar aqueles estranhos colares comestíveis de coco de licuri.

Na adolescência e fase adulta, passei a visitar a cidade com maior frequência e sempre tive um encanto singular com o lugar. Sempre fazendo amizade com várias pessoas, guardei na memória lembranças e causos narrados por alguns cidadãos que já se foram, incluindo meus avós: Dona Duda – uma rezadeira de mão cheia, de descendência indígena; e meu avô, Pedro Salviano – barbeiro e velho boêmio tocador de serenatas.

Meu pai era policial militar, tornou-se delegado da Polícia Civil, aposentou-se e passou a advogar em Vitória de Santo Antão. Em 31 anos, residimos eu, minha mãe e irmã, em 8 casas, alternando entre bairros de Recife e Jaboatão dos Guararapes. Estudei a alfabetização numa pequena escola chamada “Escolinha Vovó Amara”, a primeira série, na Escola Bandeirante e as demais séries na escola pública “Murilo Braga”. Cursei Comunicação Social com  habilitação em Publicidade e Propaganda na Uninassau. Comecei no curso de jornalismo. Porém, a propaganda ofertava um misto de profissões que me atraiam: fotografia, design gráfico, design web, marketing, cinegrafismo e também redação.

Nesse período, Paulo César Barbosa Monteiro, que gostava muito de desenhar, virou artista plástico, passando a pintar telas com tinta à base de óleo. Existiam vários pintores assinando como Paulo Barbosa, Paulo Monteiro, César Barbosa, etc. Na busca por um nome único que fizesse referência apenas a mim, uni o BAR de Barbosa ao MONTE de Monteiro. E a partir daí, passei a ser Paulo César Barmonte.

Minha experiência profissional, com agências de propaganda não aconteceu. Passei a trabalhar numa empresa familiar no setor de venda, conserto e manutenção de equipamentos hospitalares. No tempo que passei trabalhando nessa empresa, fiz uma pós graduação em Comunicação Empresarial na Business School Maurício de Nassau. Depois trabalhei desenhando mapas e calendários para a Embracar e em paralelo trabalha como fotógrafo ou cinegrafista de eventos sociais.

Meus conhecimentos foram melhor aproveitados e aperfeiçoados com a criação de mídias e identidades visuais para eventos corporativos. Passei a trabalhar para a ADVB-PE – Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (unidade de Pernambuco), depois tornei-me prestador de serviços freelancer, continuei com a ADVB-PE e passei a prestar serviços também para o Instituto Smart City Business America.

Casei em 2014, aos 32 anos com Angélica Suelle França de Andrade, filha de buiquenses. Passamos 2 anos morando em São Lourenço da Mata. Ela passou num Concurso Público aberto em Buíque e assim começa minha história como pesquisador da história da cidade.

Angélica havia cursado Ciências Biológicas na UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco) e feito Mestrado em Ensino de Ciências, na mesma instituição. Em 2017, anos saímos de São Lourenço da Mata e fomos morar em Buíque. No mesmo ano nasceu nosso filho, Eduardo.

Passei a trabalhar na Prefeitura de Buíque, mas continuava com a prestação de serviços externos. Ainda em 2017 criei o site intitulado “O que é que Buíque tem?”, inicialmente a página trataria de divulgar fotos do Parque Nacional do Catimbau e informações básicas sobre a cidade. Porém as andanças e raízes encontradas despertaram em mim a vontade de ir mais além. Então comecei a buscar novas informações e a entrevistar algumas pessoas. As respostas nem sempre eram satisfatórias mas algumas delas deixavam pistas importantes que viravam palavras-chave para a construção e meu banco de dados pessoal.

Eu, Paulo César, aos poucos passei a ser conhecido apenas pelo pseudônimo “Barmonte” e atualmente, o site cujo nome foi abreviado para Oqqbt?, armazena informações importantes, constantemente atualizadas, revisadas e complementadas em forma de textos, imagens e vídeos que espero em breve, reunir em 1 ou mais livros. Promovendo o aumento do acervo literário municipal, eternizando histórias outrora esquecidas, que revelam a jornada vivida pelos antigos e os novos cidadãos buiquenses.