Paulo Tarciso

Paulo Tarciso

Nascido em 22 de março de 1964, o buiquense Paulo Tarciso Freire de Almeida, filho de Édio Arcoverde de Almeida e Maria de Lourdes Freire de Almeida, formou-se em Letras pela Faculdade de Formação de Professores de Arcoverde em junho de 1981. Dois anos depois, casa-se com Quitéria Bezerra Cavalcanti de Almeida, natural de Alagoas, com quem tem 3 filhos. Em janeiro de 2004, ingressa no curso direito pela Faculdade de Direito de Caruaru (ASCES – Associação Caruaruense de Ensino Superior), concluindo o curso em dezembro de 2008. Mais tarde, em 2016 – conclui a pós-graduação em Língua portuguesa e suas literaturas, pela Faculdade de Formação de Professores de Arcoverde.

Paulo Tarciso sempre demonstrou grande apreço e talento com as palavras. Criou vários folhetos de cordel, um deles, intitulado “O pobe na inleição” – vendeu duas mil cópias em menos de uma semana. Trata-se de uma narrativa crítica sobre as práticas políticas comuns aos candidatos durante e após as campanhas. O cordel faz uma sátira, apontando com uma dose de humor e boas alfinetadas, o ciclo vicioso presente no inconsciente coletivo, onde a compra de voto, impede o crescimento da cidadania. “Violência na TV” é também um dos cordéis mais populares do autor, que aponta a TV como um mecanismo alienador que visa apenas a geração de lucro para as grandes emissoras.

Outros dois títulos: “De Maquiavel veio o “Príncipe” e “O Leviatã”, ambos, adaptações para a linguagem popular, tiveram 4 mil copias impressas, sob incentivo e apoio de professores da ASCES e da própria instituição.

Outros cordéis de sua autoria: A Lei Maria da Penha, Conselho aos Pais, A Agonia do Tio Juca, Tudo ou Nada, Conselho do Velhinho, A Feira de Caruaru, Política e Politicagem, O Político e o Barão, A Chacina de Realengo, A História da Páscoa, A Cirurgia; Gonzaga, Saga & Saudade, O Vale do Catimbau, Caatinga Declamada, Ontem e Hoje em Nosso Mundo, A Cirurgia, Não Zombe de Deus, Alemanha é Campeã na Copa Fifa Brasil, O que é Literatura, A Seca na Minha Terra e Chegou Chuva em Minha Terra. Suas publicações ultrapassam mais de 100 livretos.

O livro “As Janelas do Sobrado”, publicado em 2011, revela uma breve viagem no tempo, passando pelas décadas de 50 a 90, descrevendo o passado e eternizando no papel personagens cuja vivência fizera parte da transformações que fazem Buíque ser o que é hoje – uma cidade construída por personagens, fatos e memórias singulares. Informações pouco compartilhadas e que por dispersão ou retenção deixam brancas algumas páginas da história de Buíque. O livro publicado em edição única, acresce o acervo ainda tímido de obras publicadas por cidadãos buiquenses. Mas, serve de referência para que outros amantes das palavras sigam seu exemplo e compartilhem nos espaços duma mesma estante, seu nome ao lado dos grandes mestres da literatura local – Graciliano Ramos e Cyl Galindo.

Paulo Tarciso também coordenou a produção do livro “Despertar Poético”, composto por poemas e poesias de alunos da rede municipal e estadual de ensino, sendo algumas dessas poesias criadas durante seminários dirigidos pelo mesmo. A obra teve o apoio do SESC Ler Buíque. Foi vendedor de cocada, frentista de feira, engraxate, trabalhou no comércio e foi escrevente no Cartório de Imóveis de Buíque. Atualmente, exerce o cargo de Chefe de Cartório de Distribuição no Fórum da Comarca de Buíque-PE. Seus trabalhos compuseram matérias jornalísticas das emissoras TV Asa Branca (Caruaru) e no NE TV da Rede Globo Nordeste.

O autor fez e faz várias apresentações do espetáculo cultural “Cordel, Arte & Cultura”, em que declama poesias autorais e de outros poetas nacionais, canta canções folclóricas e narra causos divertidos; acompanhado por banda cultural. O espetáculo é apresentado em várias localidades.

Em outubro de 2014, torna-se cofundador da Academia Buiquense das Letras e das Artes (ABLA), no qual permanece como vice-presidente da entidade até o momento; sendo presidente, o Dr. Manoel Modesto – também advogado e escritor buiquense.

Paulo é o tipo de artista que contempla a passagem do tempo e recorda as pessoas que fizeram parte da história de sua cidade. Acompanha as transformações político-sociais a sua volta e transpira arte pelas palavras através da literatura de cordel – lançando a população, reflexões de interesse comum, envolvendo o cotidiano. Construindo assim, palavra por palavra, seu legado artístico-literário na história de Buíque.

Para aprofundar-se na vida e obra do cordelista, acesse a página: http://www.paulocordel.com/


Fonte: paulocordel.com. Acessado em: 11.06.2018

Sobre o autor

Publicitário, fascinado por ecoturismo, turismo de aventura, natureza, música e pintura.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *