Museu Municipal de Buíque

Museu Municipal de Buíque
Crédito: Paulo César Barmonte

“Conhecer e contar a história de um lugar é preservar e reconhecer a própria cidadania, contemplando o caminho percorrido para então compreender o presente e desempenhar seu papel na construção do futuro.” – Paulo César Barmonte

A fachada de quatro portas e uma janela construída em 1908, paralela à Praça Major França, nº 74, guarda em si parte do acervo histórico de Buíque. A antiga residência de Maria Emília de Freitas e Eduardo José de Freitas, sediou uma farmácia da família e hoje funciona como sede da Casa da Cultura e Museu Municipal. Marcas permanentes no piso de ladrilho hidráulico, revela a posição em que ficavam os balcões construídos em 1942 pelo carpinteiro Jorge Domingos. Os móveis resistiram ao tempo e agora são usados como expositores de maquinários, moedas entre outros objetos de vários períodos. Nas paredes, imagens de antigos moradores e figuras políticas constitui um verdadeiro painel cronológico.

O edifício acomoda duas instituições: o Museu Eduardo José de Freitas, inaugurado em 26 de maio de 1990 durante o governo de Miguel Arraes de Alencar e a Casa da Cultura Lenira Cursino de Freitas, inaugurada em 07 de setembro de 2000, durante o governo de Jarbas Vasconcelos, ambos sob a gestão de Blésman Modesto de Albuquerque e seu vice-prefeito Luiz da Silva Aciole. Lá estão expostos objetos pessoais do Monsenhor José Kherle – confidente do cangaceiro Lampião e testemunho direto na aparição de Nossa Senhora das Graças à duas crianças em Cimbres (Pesqueira-PE) no ano de 1936. Kherle passara seus últimos anos em Buíque, era médico e contribuiu com várias ações de cunho pastoral e humanitário. Construiu a maternidade Alcides Cursino e a Capela de Nossa Senhora das Graças que reúne vários fiéis durante as festividades do novenário realizado a cada 17 de novembro. O padre foi sepultado no interior da capela e segundo alguns relatos, graças foram alcançadas por intercessão do mesmo. Alguns de seus pertences dividem espaço com fotos de visitantes ilustres que estiveram na cidade, a exemplo do Frei Caetano de Messina, responsável pela construção da Matriz de São Félix de Cantalice, localizada no centro da cidade; Frei Fernando e Frei Damião – eternizado por uma estátua em tamanho real na entrada do museu.

Na sala da arqueologia, duas ossadas convidam os visitantes para uma viagem imaginária pelas veredas da pré-história local. A sala dos fósseis simula o interior de uma caverna que guarda os restos de uma preguiça-gigante, encontrada durante a escavação de um barreiro no sítio “Charco” com cerca de 8 a 10 mil anos e outra humana (mulher) com 6 mil anos – encontrada no Parque Nacional do Catimbau em 1969 pelo pesquisador Marcos Albuquerque.

Na sala de literatura, objetos de Graciliano Ramos também estão à mostra – o escritor viveu em Buíque quando jovem (sítio pintadinha) e num e seus livros “Infância”, cita detalhes sobre a cidade e cidadãos da época. Além disso, há amostras de materiais e produções literárias de autores buiquenses a exemplo de Cyl Gallindo (falecido), Manoel Modesto, Leonardo Silva e Pedro Torres.

A sala de música guarda recordações das bandas Som Bless Set, Casca de Romã e capas de vinil com cantores e bandas dos anos 70 a 90. A maior parte do acervo é constituída de fotografias que revelam a arquitetura do passado, membros de famílias tradicionais e pessoas que fizeram parte da história do cangaço, além das belas imagens do Parque Nacional do Catimbau. Várias outras personalidades e atrativos não menos importantes dignificam a história e influenciam a cultura e arte atual de Buíque. O museu e a casa da cultura reúnem o velho e o novo num só lugar para contar em opúsculos a história e a riqueza pouco compartilhada até mesmo entre os locais. Mas que deve ser continuamente difundida para que essas e outras memórias tenham espaço reservado na mente dos cidadãos, transpassando as paredes centenárias dessa enciclopédia histórica que mantém guardado o passado do município e de seus cidadãos.

Museu Municipal de Buíque-PE

Sobre o autor

Publicitário, fascinado por ecoturismo, turismo de aventura, natureza, música e pintura.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *